fbpx

A transformação digital nos serviços financeiros

Nos últimos anos, novas tendências em tecnologia começam a se materializar. No ambiente bancário, uma pesquisa da empresa NCR, em 2020, identificou as principais convergências de estratégias e transformação digital.

Com o acirramento da concorrência no setor financeiro, a busca por renovação é um processo natural. Os bancos querem se manter relevantes para seus consumidores e precisam se ater para a atual realidade das ofertas.

A entrada de novos players com propostas de disrupção exige uma quebra da zona de conforto. Afinal, as fintechs e neobancos demonstram grande potencial de dominar o mercado com serviços digitais e modernos.

Os novos modelos de negócio trazem ofertas que se encaixam com o que as novas gerações buscam. Os millennials já cresceram na Era da Internet e, por isso, possuem uma essência digital. Esse contexto foi fundamental para o surgimento de empresas voltadas exclusivamente para o âmbito on-line.

Segundo a pesquisa da FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2020, o total de transações bancárias por meios digitais passou de 52% para 63% de 2015 a 2019. Um ano antes da pandemia se consolidar no Brasil, o volume de transferências bancárias via celular teve crescimento de 43% (2019 ante 2018).

Esses dados apontam para um caminho sem volta, destacando a digitalização dos bancos como uma forte tendência em tecnologia nas instituições financeiras. As empresas mais tradicionais estão acordando para esse cenário e começam a apresentar ramificações para atrair o público mais jovem ou para aqueles que não pararam no tempo.

Segundo a pesquisa da empresa NCR, os investimentos na expansão de serviços focados em aplicativos e plataformas digitais já somam R$ 196 bilhões. Em 2019, uma das tendências foi o crescimento da abertura de contas digitais, com startups especializadas tomando conta das demandas. A partir das contas digitais, é possível através de um aplicativo moderno, conectar o consumidor aos diversos serviços, atendendo plenamente suas necessidades, melhorando sua experiência com a instituição financeira”, afirma Tiago Titara – CEO do Grupo Invest Bravo.

O Nubank, por exemplo, conseguiu se consagrar como uma startup unicórnio devido ao crescimento acelerado de seus negócios. “Aprender com essas empresas e absorver as estratégias é a chave para os bancos tradicionais segurarem seus espaços no mercado. Hoje os canais digitais oferecem experiência do cliente com conveniência, facilidade e valor agregado, coisas que as instituições financeiras, através dos serviços tradicionais não conseguem”, destaca Tiago.

Um bom exemplo da modernização do sistema bancário é a implantação, através do Banco Central, do Open Banking, um processo de compartilhamento de dados, informações e serviços financeiros pelos clientes bancários em plataformas de tecnologia (somente mediante sua autorização),  com a finalidade de reduzir as taxas de juros e possibilitar uma melhor oferta de produtos financeiros nos próximos anos, por meio de uma maior competição entre o sistema financeiro, incluindo as fintechs (pequenas empresas de tecnologia que atuam no setor financeiro e oferecem, por exemplo, contas digitais e crédito pela internet).

Atenção às PMEs

As pequenas e médias empresas sempre foram negligenciadas pelas instituições financeiras, encontrando pouco ou nenhum suporte para seus negócios. Elas precisavam se adaptar às soluções para o comércio de forma geral, que são muitas vezes ineficazes para suas necessidades.

Porém, muitas dessas empresas acabam crescendo e se tornando consumidores importantes para os bancos. É um contexto que reforça a importância de olhar para esse segmento tão subaproveitado.

As fintechs e startups financeiras perceberam essa oportunidade e passaram a desenvolver produtos e serviços especiais para esse público, através de experiências digitais otimizadas, algo que os bancos tradicionais ainda não conseguem atender.

O Grupo Invest Bravo é um bom exemplo dessa dinâmica e através de seus serviços quer estar cada dia mais próximo de seus clientes e ser um verdadeiro parceiro dos empresários que querem crescer. Por isso, oferece inúmeras facilidades para abertura de conta e serviços bancários, atendimento ágil e rápido, de forma pessoal e diversas opções em serviços.

Além disso, ao abrir a Conta Digital Disruptiva e usufruir de outros serviços, o empresário possui a garantia que o seu dinheiro está em um local seguro e confiável, além de desfrutar das soluções financeiras oferecidas.

Unificação de canais isolados pela transformação digital

Os bancos sempre operaram em silos, com canais complexos paralelos e de alto custo de implantação. Esse legado hoje impõe uma grande barreira para a rápida transformação digital das instituições financeiras que buscam inovar.

A dificuldade para acompanhar o ritmo dos novos entrantes exige que as empresas tradicionais passem a repensar suas estratégias. Enquanto as fintechs e os bancos digitais começam a construir seu legado diante de um cenário tecnológico, através de plataformas simples e com serviços unificados, as instituições financeiras tradicionais ainda mantêm uma estrutura processual arcaica, que caminha a passos vagarosos para a modernização.